Superclássico termina empatado em 1 a 1.

Há mais de dois anos o Sampaio Corrêa não consegue uma vitória sobre o seu maior rival, o Moto Club, e este tabu foi mantido ontem à tarde, no Superclássico disputado no Nhozinho Santos, que terminou empatado em 1 a 1. A partida foi a despedida boliviana do primeiro semestre, porque já estava sem chances de classificação a próxima fase da Taça Cidade de São Luís. Para o Moto, o jogo serviu como uma espécie de treino de luxo na preparação para enfrenta o Chapadinha na quinta-feira, 4, na abertura da fase mata-mata do torneio. O empate de ontem foi o oitavo mal resultado boliviano colecionado em partidas diante do Rubro-Negro. A última vitória [1 a 0] aconteceu em 4 de abril de 2004, com um gol do então volante Juruna. Desde então o Tricolor perdeu quatro jogos e empatou os restantes. Com o empate no Superclásico, o Moto Club encerrou a primeira fase da Taça São Luís em primeiro lugar com 25 pontos obtidos através de sete vitórias, quatro empates e apenas três derrotas, com 26 gols marcados e 22 sofridos, saldo de quatro. Na segunda fase o Rubro-Negro enfrenta o Chapadinha, necessitando apenas de dois resultados iguais para avançar na competição. Já o Tricolor encerra sua melancólica participação com uma de suas piores campanhas na história. A equipe não conseguiu classificar-se à segunda fase, mesmo com as regras do certame garantindo seis vagas para o mata-mata – a primeira fase foi disputada por sete times. O Tricolor ficou em sétimo lugar, com 16 pontos, quatro vitórias, quatro empates e seis derrotas, além de ter marcado 15 gols e sofrido 16. O JOGO Apesar de entrar em campo já desclassificado, o Sampaio dificultou ao máximo a partida para o adversário. Porém, a primeira chance de gol foi motense. Pela esquerda, o atacante Gabriel fez boa jogada na área boliviana, driblou dois adversários e cruzou para o meio. Livre na área, Zé Augusto fez o mais difícil e colocou a bola por sobre o gol. Aos seis minutos o Sampaio revidou e acabou marcando o seu gol. Após um cruzamento despretensioso na área motense, o goleiro Marabá falhou e soltou a bola nos pés de Márcio Carioca, que apenas teve o trabalho de tocar para o gol. O Tricolor quase aumenta dez minutos mais tarde. No contra-ataque Cléo mandou a bola colocada, que tocou no travessão e foi para fora. A resposta motense veio aos 19, quando Zé Augusto entrou na área tricolor, driblou dois marcadores e mandou uma “bomba” para a excelente defesa do goleiro Rogério. As últimas chances no primeiro foram tricolores. No contra-ataque, aos 28 minutos, Márcio Carioca chutou rasteiro e Marabá esticou-se todo para fazer a defesa parcial e mandar a bola para fora. Na cobrança de escanteio Juninho Pinheirense, livre na área, cabeceou a bola para fora. Minutos mais tarde, após uma falta marcada próxima a área, o volante Marcos Paraná perdeu a cabeça e agrediu o árbitro Marcelo Filho com cabeçadas. O diretor de futebol do Sampaio Corrêa, Celso Goulart, entrou em campo e interviu, retirando o jogador do local. Porém, não conseguiu evitar a expulsão do jogador, que recebeu o cartão vermelho. 2º TEMPO Na etapa final o Moto voltou melhor e por pouco não marca aos nove minutos. No ataque pela direita, Gabriel cruzou para a área e na conclusão Israel mandou de primeira. A bola explodiu no travessão e foi para fora. Dez minutos depois o lateral-direito Édson foi a linha de fundo e fez o cruzamento. No rebote Zé Augusto tentou completar, mas mandou novamente por sobre a trave adversária. De tanto insistir, o Papão chegou ao gol de empate aos 27 minutos. O atacante Válber recebeu na entrada da área, girou e mandou a bomba para as redes, indefensável para o goleiro Rogério. A partir de então o Moto tentou pressionar em busca do gol que daria a virada, mas quem quase marca foi o Sampaio. Aos 37 minutos, na escapada pela direita, o atacante Márcio Carioca bateu rasteiro, muito próximo ao gol rubro-negro. O mesmo atacante teve outra chance aos 45, mas a bola resvalou na defesa e passou rente a trave motense. Briga no vestiário do Sampaio Ao final do jogo, uma briga envolvendo o volante Ademir e o roupeiro Mirandinha foi registrada no vestiário do Sampaio, tudo por causa de uma camisa. O roupeiro estava armado de uma faca. Um repórter fotográfico que registrou toda a confusão foi cercado e obrigado por vários jogadores do Sampaio a apagar as fotos da briga. Gols O Sampaio saiu na frente logo aos 6 minutos do primeiro tempo. Gilberto levantou a bola na área, o goleiro Marabá saiu mal e rebateu nos pés de Márcio Carioca que fez 1 a 0 para o Tricolor. O gol de empate do Moto saiu aos 26 minutos do segundo tempo. Valdo recebeu a bola de Diná e de fora da área chutou no canto direito alto, sem chances de defesa para o goleiro Rogério.

09:27 - 02/05/2006






Desenvolvido por Adriano Marinho