Lionel Messi marca, quebra tabu, e Argentina bate Seleção em Doha

Messi comemora o gol da vitória sobre a Seleção no amistoso em Doha, no Qatar (Foto:Mowa Press)

A fera acordou. Com um golaço de Lionel Messi aos 47 minutos do segundo tempo, a Argentina derrotou a Seleção por 1 a 0, no Khalifa International Stadium, em Doha, no Qatar, e acabou com um jejum de cinco anos sem triunfos sobre o arquirrival. Além disso, "La Pulga" acabou com o tabu de nunca ter vencido o time canarinho atuando pela equipe principal dos hermanos. Pelo lado brasileiro, Ronaldinho foi o destaque, mas foi substituído no segundo tempo.

 

Com o resultado, a Seleção Brasileira perdeu a invencibilidade sob o comando de Mano Menezes. Eram três vitórias em três jogos e nenhum gol sofrido. O setor defensivo, formado por Victor, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos, não sabia o que era buscar a bola na rede há 451 minutos.

 

O Brasil volta a campo apenas no ano que vem. A equipe de Mano Menezes vai enfrentar a França, no dia 2 de fevereiro, em Paris. Já os hermanos devem voltar a atuar na mesma data, contra a Inglaterra, em Wembley. O amistoso será confirmado nos próximos dias pela Associação de Futebol Argentina (AFA).

 

Primeiro tempo morno em Doha. Messi e Ronaldinho comandam as ações

Os olhos do planeta estavam voltados para os donos da camisa 10 de Brasil e Argentina. De um lado Ronaldinho Gaúcho, do outro Lionel Messi. E a primeira chance foi do brasileiro. Aos quatro minutos, Neymar deu um corte em Pareja e sofreu falta na entrada da área. Na cobrança, Ronaldinho acertou a barreira. Na sobra, André Santos pegou o rebote e chutou à esquerda do goleiro Romero. Os hermanos responderam um minuto depois. Zanetti recebeu pelo lado direito, entrou na área e chutou de canhota. Victor caiu com segurança para defender.

 

Ronaldinho seguiu se movimentando, bem diferente do que costuma fazer no Milan, quando atua mais pelo lado esquerdo. O brasileiro carimbava todos os lances do meio-campo da Seleção, tentando criar os lances para Neymar e Robinho, que jogaram mais avançados. Aos 18, Daniel Alves tabelou com David Luiz e chutou de primeira. A bola estourou no travessão de Romero. Quase o primeiro gol do Brasil.

 

E tudo sob o olhar atento do francês Zinedine Zidane, embaixador do Qatar na disputa para ser sede da Copa do Mundo de 2022. Além do ex-jogador, o holandês Ronald De Boer, os pilotos de Fórmula-1 Rubens Barrichello e Felipe Massa e o tetracampeão do mundo Bebeto estavam presente no Khalifa International Stadium.

 

Três minutos, Neymar bateu escanteio da esquerda e no bate-rebate, a bola sobrou para Ronaldinho na entrada da pequena área. Sem muitas opções, o atacante deu um lindo toque de calcanhar e quase marcou. O goleiro Romero fez a defesa. No intervalo, o brasileiro aproveitou para explicar o lance.

 

- Pena que eu estava de costas, não vi se tinha marcador e tentei o gol daquela maneira. É maravilhoso retornar à Seleção. Temos mais 45 minutos para tentar a vitória - disse o camisa 10 da Seleção Brasileira.

 

Mas a etapa inicial não ficou só por aí. Aos 28, a Argentina foi quem assustou. Aos 28, após cobrança de escanteio, Higuaín cabeceou e Victor fez uma linda defesa. Na sobra, o atacante do Real Madrid chutou e o goleiro voltou a salvar a Seleção. O árbitro, porém, parou o lance e assinalou impedimento do ataque hermano.

 

E Ronaldinho seguiu tentando deixar a sua marca em seu retorno ao time canarinho. Aos 37, ele voltou a assustar Romero. O jogador cobrou falta do bico da grande área e o goleiro argentino espalmou para fora.

 

Um minuto depois, Messi, que vinha sendo bem marcado por David Luiz, assutou a Seleção. O jogador do Barça recebeu na intermediária e arriscou da entrada área. A bola passou à direita de Victor, que voou para tentar a defesa. Aos 43, Neymar deu um drible com um quê de Ronaldinho. O atacante do Santos deu um corte em Zanetti, que ficou caído no chão, e cruzou. A zaga argentina afastou o perigo antes da chegada de Robinho. Fim de papo no primeiro tempo.


Globo Esporte

17:18 - 17/11/2010






Desenvolvido por Adriano Marinho