Com `salário mínimo´, Juninho está oficialmente de volta ao Vasco

Juninho Pernambucano recebeu o presidente Roberto Dinamite no Qatar (Foto: Divulgação / Twitter)

Juninho Pernambucano está oficialmente de volta ao Vasco. O meia de 36 anos assinou contrato e já tirou foto com a camisa 8. O presidente Roberto Dinamite esteve no Qatar resolvendo os últimos detalhes do acerto, que foi sacramentado na última terça-feira. O jogador deve começar a trabalhar no dia 10 de junho, mas ainda não há data marcada para apresentação oficial.

 

Juninho abriu mão do alto valor que recebia no Al-Gharafa em nome do desejo de encerrar a carreira em São Januário. Entendendo que a situação do Vasco não permite grandes investimentos, o meia tem garantido apenas cerca de R$ 600 por mês - pouco mais que o salário mínimo brasileiro, que atualmente é R$ 545. Mas o tratamento não é o de um trabalhador comum. Seu contrato terá bonificação por metas alcançadas. Dependendo dos resultados do time no Brasileiro, Juninho receberá premiações - há valores fixados em caso de título e classificação para a Libertadores. Também existe acordo em relação a patrocínios. O jogador terá direito a 50% de futuros contratos com novos parceiros. Além disso, o Reizinho tem um projeto da diretoria para seguir na Colina após o fim da carreira, com um cargo no departamento de futebol.

 

- Volto sem ação de marketing alguma. Eu e o Vasco somos parceiros, na alegria e na tristeza. Eu volto para ganhar um salário mínimo, porque preciso ser justo com o torcedor. Tenho que dar resultado e, se acontecer, sou premiado. Eu me preparo nestes dois meses restantes antes do Brasileiro e volto em agosto firme e forte, sabendo que não sou mais o Juninho de dez anos atrás, mas posso ainda contribuir muito. O torcedor pode confiar na entrega e no espírito guerreiro que vou levar aos meus novos companheiros e daqui vou torcer muito, já a partir deste domingo, como venho fazendo desde que saí do Brasil. Acompanho tudo e sou Vasco. Estou muito ansioso para chegar ao Rio de Janeiro e sentir este calor - disse o jogador, em entrevista ao site oficial do clube.

 

Juninho volta ao Vasco dez anos depois da despedida, em 2001, quando conquistou o título brasileiro de 2000 - por conta da queda de uma grade no segundo jogo da decisão com o São Caetano, o jogo do título foi disputado em janeiro da temporada seguinte, no Maracanã. O retorno acontece depois de várias tentativas frustradas de reaproximação.

 

Juninho teve problemas com Eurico Miranda, mandatário do clube durante todo o seu período na Colina, que começou em 1995, depois de se destacar no Sport. A saída do dirigente abriu caminho para a volta, mas as negociações sempre emperravam na questão financeira.

 

- Estou retornando ao Vasco por duas instituições deste clube, que são a sua torcida linda e fantástica e seu presidente, homem simples e do bem. Eu precisava fazer isto e sempre disse que o que faltava era iniciativa. Em 2009, Rodrigo Caetano me mandou um e-mail e conversamos. A coisa não andou. Faltava o projeto, o encaminhamento de uma proposta de trabalho. E este ano, com a ajuda do próprio Rodrigo e do José Fuentes (empresário do jogador), Roberto esteve em Recife e ali sacramentei minha volta. Estou muito feliz - comentou.

 

Com 295 jogos e 55 gols pelo Vasco, Juninho participou do maior momento da história do clube, a conquista da Libertadores de 1998. Além do Brasileiro de 2000, também conquistou o título nacional de 1997, o Carioca de 1998, o Torneio Rio-São Paulo de 1999 e a Mercosul de 2000.


Globo Esporte

16:31 - 27/04/2011






Desenvolvido por Adriano Marinho