Blitz surpresa fiscaliza mototaxistas da cidade

Mototaxistas e demais motociclistas foram pegos de surpresa no início da noite desta terça-feira, 14, em frente ao Posto da Polícia Militar, na BR-226, próximo ao Fórum Eleitoral Juiz Antônio Eduardo Nava. É que a Guarda Municipal e a PM fizeram uma blitz com o objetivo de cobrar a documentação necessária aos mototaxistas da cidade.

 

“Havia uma cobrança muito grande principalmente sobre os serviços de mototaxistas, pois há muitos irregulares, que não têm alvará para trabalhar legalmente”, explicou a inspetora da Guarda Municipal e gerente de sinalização de trânsito, Marta Nunes Castro.

 

De acordo com a inspetora, a ação visa também garantir a segurança da população grajauense. “Temos denúncias de pessoas que estão usando motos amarelas para praticar furtos e roubos. Por isso, hoje cobramos documentação de praxe (documentos do veículo e carteira de habilitação) e alvará. Segundo a lei dos mototaxistas, para realizar o trabalho legalmente eles  precisam possuir alvará.

 

Além de mototaxistas, a fiscalização parou também motociclistas de modo geral, para fiscalização de rotina. Segundo Marta, as motocicletas só podem circular sem placa por no máximo 15 dias, após saírem da loja. Foram apreendidas 12 motocicletas, sendo oito de mototaxistas e quatro de usuários comuns. Os condutores e os veículos foram conduzidos à Secretaria de Defesa Social e ao Departamento de Trânsito, para regularização.

 

“Estamos fazendo isso hoje porque é uma cobrança da sociedade. Inclusive temos o cronograma semanal de cada ponto de mototaxistas, da Vilinha à Expoagra, desde janeiro que solicitamos regularização. Essa blitz não aconteceu de repente, mas vem sendo programada há muito tempo”. Essa é a segunda de 2013. Marta informou ainda que a fiscalização acontecerá a partir de agora semanalmente.

 

Enquanto a blitz era realizada, dezenas de motociclistas paravam nas proximidades da “Ponte de Cimento” aguardando qualquer informação do fim da fiscalização para assim seguirem caminho. Um funcionário do Distrito Industrial que estava por ali lamentava o ocorrido e reclamava se dizendo “cansado e que queria chegar logo em casa, mas a blitz o atrapalhava”.


Portal Grajaú de Fato

10:40 - 16/05/2013






Desenvolvido por Adriano Marinho