Aos 15 anos, caçula da Superliga vê chance no Maranhão como um sonho

Nyeme é a atleta mais jovem da atual edição da Superliga (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

A média de idade do recém-formado time do Maranhão Vôlei é uma das mais baixas de toda a Superliga: 22,7 anos. A equipe mescla algumas jogadoras com experiência internacional, como a levantadora argentina Yael Castiglione, a ponta Liz Hintemann e a meio de rede Dani Suco, com algumas meninas bem novas, ainda no começo da carreira, aproveitadas principalmente após as boas atuações na campanha que terminou com a terceira colocação na Liga Nacional Sub-23. Uma delas é a ponta Nyeme, caçula de toda a competição, com apenas 15 anos de idade.

Ainda bastante tímida na hora de dar entrevistas, Nyeme demonstra em quadra, principalmente na hora de atacar, apesar de ter apenas 1,75m. Neste sábado, ela teve a oportunidade de estar frente a frente com a mais experiente atleta em atividade na Superliga, a levantadora Fofão, de 43 anos, que defende o time do Rio de Janeiro, e também começou muito cedo no profissional, com 14 anos. O jogo acabou em 3 sets a 0 para o time carioca, com parciais de 21/16, 21/16 e 21/15.

- Tenho 15 anos, e é um sonho para qualquer pessoa poder estar na Superliga. Imagina para mim? Eu tive essa oportunidade e vou tentar aproveitar ao máximo. É maravilhoso, mas vou tentar sempre dar o meu melhor e esquecer quem está do outro lado – relatou Nyeme, que fez aniversário no último dia 11 e também começou entre as adultas com 14 anos.

Das 17 atletas do elenco maranhense, apenas Nyeme e mais duas nasceram no estado. Por isso, para ela, a responsabilidade é maior por ter como um dos objetivos carregar o nome do Maranhão pelas quadras do Brasil sendo tão nova. Ela, inclusive, é a única do elenco que não reside no hotel com as companheiras, e sim com os pais.

- Eu moro com meus pais, sou uma das únicas daqui do Maranhão. É uma responsabilidade muito grande poder representar o meu estado na Superliga, têm muito poucas meninas do Maranhão jogando. Fico muito feliz – contou a jovem.

Enquanto Nyeme dava a entrevista ao GLOBOESPORTE.COM, a ponta Fran ficou ao lado dela, tentou ajudá-la e deu alguns “toques” na companheira. Ela até brincou que era assessora de imprensa da jovem.

- Ela é uma menininha mesmo, uma moleca de tudo, sabe? No nosso time todo mundo é muito respeitado. Há muitas atletas experientes, mas muito mais jovens. Ninguém fica zoando.Ela não está à toa com a gente. A Nyeme se impõe demais, apesar de ser nova. Tentamos passar nossa experiência para ela, que escuta muito, e tem um grande potencial – concluiu a atleta.

Nyeme é jovem e começa a trilhar seu caminho entre as profissionais, mas já brilhou na base. Ela se destacou no colégio Upaon-Açu, em São Luís. Em pouco mais de um ano e meio no vôlei, chamou atenção nas Olimpíadas Escolares, defendeu a seleção do estado e ainda foi eleita a melhor atleta do Campeonato Brasileiro Infanto-Juvenil.

 

Por Gabriel Fricke
Rio de Janeiro


Globo Esporte

17:43 - 21/10/2013






Desenvolvido por Adriano Marinho