Caso Décio: Júnior Bolinha terá direito à cela especial

Raimundo Sales, o Júnior Bolinha

Na decisão, o juiz sustentou a falta de segurança dentro do sistema prisional do Maranhão para pedir a transferência.

O ofício de transferência de Raimundo Sales, o Júnior Bolinha, envolvido no assassinato do jornalista Décio Sá, foi assinado pelo juiz Ernesto Guimarães Alves, da primeira vara do tribunal do júri e protocolado no Corpo de Bombeiros no dia 15 de dezembro. De acordo com o documento, o acusado deve ser transferido para o comando geral da Corporação.

Décio Sá foi morto com cinco tiros quando estava em um bar, na Avenida Litorânea, em São Luís, em abril de 2012. Segundo o inquérito policial, Bolinha teria contratado o pistoleiro Jonathan de Sousa Silva a mando dos empresários José Miranda e Gláucio Alencar, pai e filho, respectivamente.

Na decisão, o juiz sustentou a falta de segurança dentro do sistema prisional do Maranhão para pedir a transferência. De acordo com o magistrado, o Estado tem o dever constitucional de zelar pela integridade física e moral do preso, bem como disponibilizar instalações seguras, adequadas e apropriadas.

O juiz solicita informações do comandante do Corpo de Bombeiros para realizar a transferência.


Jornal Pequeno

12:47 - 18/12/2014






Desenvolvido por Adriano Marinho