MPMA realiza I Encontro Regional de Segurança Pública e estabelece parcerias com outros órgãos em Imperatriz

Ministro Arthur Chioro destacou a condução das políticas públicas e o novo formato de gestão do governador Flávio Dino

O MPMA realizou nesta terça, 3, o I Encontro Regional de Segurança Pública, promovido pelo Centro de Apoio Operacional de Controle Externo da Atividade Policial (CAOp-Ceap) e as Promotorias de Justiça de Imperatriz. Durante a manhã, em uma sessão solene aberta à população, o evento reuniu, na Câmara de Vereadores, promotores de justiça, o prefeito de Imperatriz, representantes da Polícia Militar e Civil no município, vereadores, além de diversas autoridades ligadas ao tema.

À tarde, os promotores da Região Tocantina se reuniram para traçar ações e metas institucionais do Ministério Público e também se encontraram com entidades para definir estratégias de combate ao crime.

O evento faz parte do programa institucional Controle e Fiscalização do Sistema de Segurança Pública do Estado, que tem como objetivo exigir o cumprimento do direito à segurança pública, assegurando a apuração dos crimes e combate à criminalidade. Outra finalidade é garantir a presença da força policial militar e civil nos 217 municípios do Maranhão

O promotor de Justiça e organizador do evento em Imperatriz, Joaquim Júnior, disse que a iniciativa do Ministério Público do Maranhão é promover um diálogo com a sociedade e aprofundar a discussão sobre os fatores causadores da violência. "Nós sabemos que muitos policiais civis e militares trabalham com afinco e nenhuma ação do poder público é bem-sucedida sem o apoio da sociedade. É mais importante ainda lembrar que o trabalho de prevenção é a estratégia mais eficaz, porque nós não podemos nos ater somente ao paradigma da guerra" declarou.

O promotor de justiça e coordenador do CAOp, José Cláudio Cabral, participou do evento representando a procuradora-geral de justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha. Ele acredita que é necessário uma cooperação das instituições públicas para realizar um monitoramento detalhado da violência e também fazer uma discussão direta com a sociedade para combater o problema.

"Entendemos que não é mais possível vivenciarmos um trabalho isolado das instituições. É preciso detectar os principais problemas, analisar as áreas de maior incidência dos crimes e a partir de então definir metas eficazes, a exemplo do programa de horário de funcionamento dos bares em determinadas áreas. E queremos que isso não seja apenas um evento, mas sim a melhoria do nosso sistema" ressaltou Cláudio Cabral.

O diretor das Promotorias de Imperatriz, Alessandro Brandão, que é titular da 7ª Promotoria de Justiça Criminal, disse estar satisfeito com a união das instituições e que ninguém vai resolver o problema da violência isoladamente.

COMBATE ÀS DROGAS

O promotor de justiça de Imperatriz Antônio Coelho Soares Júnior (4ª Promotoria de Justiça Criminal) conduziu o painel "Combate às Drogas em Imperatriz: ações urgentes e eficazes". Ele apresentou um histórico das políticas adotadas sobre o combate às drogas no Brasil e no mundo.

Com 715 mil presos, o Brasil tem a terceira maior população carcerária do mundo. Estados Unidos e China ocupam os primeiros lugares. "Temos que enxergar que a nossa política de combate às drogas é ineficaz e fracassada", enfatizou o promotor Antonio Coelho.


10:27 - 05/03/2015






Desenvolvido por Adriano Marinho