Presos suspeitos de matarem ambientalista em Bom Jardim

Dois homens foram presos na quinta-feira (27), suspeitos de matarem o ambientalista e conselheiro da Reserva Biológica (Rebio) do Gurupi, Raimundo Santos Rodrigues, de 54 anos. Ele foi morto a tiros durante uma emboscada, na quarta-feira (26), em Bom Jardim.

A dupla foi presa bem perto da localidade onde o ambientalista sofreu a emboscada. Os dois estavam armados com espingardas e facões, mas não tiveram tempo de reagir. As identidades dos suspeitos não foram divulgadas pela Polícia Federal. Segundo o superintendente Alexandre Saraiva, os dois podem ser associados aos criminosos que atuam naquela região. 

"O assassinato ocorreu em razão das atividades dele como conselheiro da reserva biológica do Gurupi. isso mostra que essas pessoas que o assassinaram são associadas àqueles criminosos ambientais que atuam fortemente naquela região", afirmou o delegado. 

O ambientalista havia contado que vinha sofrendo ameaças. Segundo ele, um fazendeiro teria ameaçado a ele e a outras dez famílias que moram na região. "Ele estava incomodado com a Rebio para não roçar dentro da área de área biológica", diz Raimundo.

O conselheiro morava há dez anos na região. Antes do atentado, ele contou que, no dia 18 de junho, o fazendeiro agiu com abuso para retirar as famílias do local, incendiando casas e barracos, além de objetos dos moradores.

"Nós se sente (sic) ameaçado desde que ele chegou lá, tocando fogo nos barracos. Ele queria passar com carro por cima das crianças, dos adultos", revela.

Um dos trabalhadores da reserva, que não quis se identificar, já havia afirmado que a vítima vinha sendo ameaçado por defender a preservação da floresta. "Os madeireiros odiavam ele, porque ele denunciava. Ele era bastante atuante na região, defendia a comunidade, participava do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bom Jardim", contou.

Investigação

A Polícia Federal (PF) informou que pediu autorização ao Ministério da Justiça e já está investigando o assassinato. A PF explicou que a investigação é de competência federal porque a reserva é ligada ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), instituição que também é de autarquia federal.

Crime

O ambientalista e a esposa Maria da Conceição Chaves Lima foram abordados por homens armados quando chegavam na residência onde moravam, na Rebio Gurupi. Raimundo morreu na hora e Maria também foi atingida. Ela foi está internada no Hospital Municipal de Açailândia.

Segundo a direção do hospital, a vítima passou por cirurgia e tem quadro considerado estável. Um policial militar e um agente federal fazem a segurança da sobrevivente no hospital.

ICMBio lamenta

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade lamentou a morte e ressaltou que Raimundo e Maria merecem ser homenageados pela dedicação incansável em defesa da natureza. A Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Maranhão se solidarizou com a família do trabalhador rural.

Reserva

Com 271.197,51 de hectares, a Rebio Gurupi é uma das unidades de conservação administradas pelo ICMBio na região da Amazônia Legal, com coordenação regional vinculada ao CR4 (Belém, PA).


07:26 - 29/08/2015






Desenvolvido por Adriano Marinho