Lidiane Leite insiste em não se entregar à Polícia Federal e cada vez mais fica complicada a vida da prefeita foragida

A prefeita foragida de Bom Jardim, Lidiane Leite, seguia até ontem (sexta-feira 28) à noite, sem ser presa e nem se entregar à Polícia Federal. O nome dela já faz parte de uma extensa lista da Interpol – Polícia Internacional – e até a vice-prefeita Malrinete Gralhada já tomou posse no cargo de prefeita de Bom Jardim, por decisão do juiz Cristóvão Barros, que responde pela comarca daquele município (leiam matéria especial sobre a posse de Malrinete ali na página 7 desta edição). Por outro lado, sabe-se que os advogados da prefeita foragida teriam abandonado a causa dela, uma vez que ela resiste em se entregar. A prisão preventiva decretada contra ela pela Justiça Federal é de 30 dias. Para muitos, Lidiane estaria escondida em São Luís, capital do Estado, mas há quem acredite que ela esteja mesmo é homiziada em uma fazenda na região de Santa Inês. Enquanto ela não aparece, várias ações estão sendo movidas contra ela e seus prováveis parceiros de desvio de verbas na prefeitura de Bom Jardim, em valores que ultrapassam vários milhões. De toda maneira a prefeita foragida, seus parceiros e a cidade de Bom Jardim seguem na mídia regional, estadual e nacional. Muito já se disse e especulou sobre o que verdadeiramente aconteceu naquela cidade nos últimos dois anos e meio, e como será de agora em diante a vida dos bom-jardinenses.


07:30 - 29/08/2015






Desenvolvido por Adriano Marinho