Prefeita de Bom Jardim tem nome incluído no cadastro de procurados da PF

Lidiane Leite está foragida desde o dia 20 de agosto, quando a Justiça Federal decretou sua prisão preventiva. Fraudes podem chegar a R$ 15 milhões

 O nome da prefeita de Bom Jardim, Lidiane Rocha (PP-MA), foi incluído no Sistema de Nacional de Procurados e Impedidos (Sinpi), da Polícia Federal. Suspeita de desvios de verbas de merenda escolar e fraude em licitação que podem alcançar rombo de R$ 15 milhões.

Lidiane está foragida desde o dia 20 de agosto, quando a Justiça Federal decretou sua prisão preventiva. No cadastro de procurados e impedidos estão os nomes de todos os que não podem deixar o Brasil, por problemas com a Justiça, e de estrangeiros impedidos de entrar no País. O sistema é consultado por agentes em aeroportos, portos e postos de fronteira, antes da autorização policial para saída ou entrada de pessoas no País.

Investigações - Segundo o superintendente da PF no Maranhão, Alexandre Saraiva, as investigações sobre a prefeitura de Bom Jardim tiveram início após denúncias da oposição e também de agricultores que foram cadastrados para fornecer alimentos para as escolas municipais.

Segundo a PF, a Prefeitura pagava o fornecimento de alimentos - mesmo sem esses terem sido fornecidos - mas membros da gestão da prefeita Lidiane Rocha é que sacavam na "boca do caixa" os valores supostamente depositados para os agricultores.

A Polícia Federal disse que somente neste esquema foram desviados cerca de R$ 1 milhão dos cofres da Prefeitura de Bom Jardim.

Lidiane Rocha é investigada desde o início do ano pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão (MP), pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Polícia Federal (PF) por suspeita de desvios de verbas da merenda escolar, da reforma de escolas, do Fundeb e do Pnae.


06:57 - 05/09/2015






Desenvolvido por Adriano Marinho