Música e teatro para combater a violência em Caxias-MA

Todas as artes existentes no mundo contribuem para a maior de todas as artes, a arte de viver. A comunidade terapêutica Fazenda da Esperança está lançando em Caxias-MA o espetáculo musical Streetlight que contará com três apresentações na cidade, nos dias 18, 19 e 20 de setembro. O objetivo da iniciativa é fortalecer os jovens contra a violência, o isolamento, o bullying e as múltiplas experiências de opressão sútil, mas dolorosa.
O núcleo do projeto Forte Sem Violência é o musical ``Streetlight´´, do grupo internacional Gen Rosso, que conta uma história verídica: a peça narra a história real de Charles Moats, um rapaz afro-americano que vivia em um gueto negro de Chicago. Charles torna-se integrante da Streetlight Band e começa a propagar através da música seus ideais de paz e fraternidade.
Para a construção de todo o trabalho, a Fazenda da Esperança contou com o envolvimento da igreja católica e da rede municipal e estadual de ensino que ajudaram a promover a iniciativa. O objetivo é envolver mais de 200 jovens recuperandos de dependência química pertencentes as três unidades do centro terapêutico ligado à igreja católica no Maranhão no espetáculo que debate sobre violência e se posiciona a favor da força interior. Além de Caxias, os municípios de Coroatá e Balsas também contam com unidades da Fazenda da Esperança no estado do Maranhão.
Apesar da encenação do musical ser uma produção conjunta da banda italiana Gen Rosso, a construção do espetáculo é coletiva e conta com vários jovens que são tratados pela Fazenda da Esperança. Por meio de oficinas, eles aprendem atividades que os tornam dançarinos, cantores, contraregras, músicos, percussionistas, etc.
Com o ideal de atender crianças e adolescentes, faixa etária que geralmente é um grande alvo da violência, os estudantes da Secretaria Municipal de Educação de Caxias e da Secretaria de Estado da Educação do Maranhão foram convidados especialmente para prestigiarem o musical. “O bullying e a violência doméstica estão invadindo as vidas dos jovens de diversos lugares do Brasil e precisamos agir contra essa situação, impedindo que esse problema avance. Ao longo dos 30 anos de existência da Fazenda da Esperança temos o compromisso de dar novas perspectivas de desenvolvimento aos jovens brasileiros em situações difíceis”, comenta uma das voluntárias do projeto, Flávia Moura.
De acordo com um relatório desenvolvido pela Organização nas Nações Unidas (Unesco) que apresenta um mapa da violência para o ano de 2015 no Brasil, cinco pessoas morrem no país a cada hora, todas vítimas da violência nas ruas. De acordo com dados da mesma pesquisa no ano de 2014, o Maranhão ocupa a terceira posição entre as unidades federativas com maior crescimento no número de homicídios no período de uma década. Para a realização da pesquisa, foi feito um levantamento dos registros desse tipo de morte entre os anos de 2002 e 2012. No ranking da violência, o estado teve aumento de 203,6% de homicídios nesse período, ficando atrás apenas da Bahia, com 242,1%, e do Rio Grande do Norte, que registrou crescimento de 272,4%. O Maranhão registrou um total de 12.399 mortes desse tipo durante os dez anos em questão. “Se observarmos os números que retratam a violência em nosso país veremos que não podemos perder tempo, pois este mal precisa ser combatido com urgência. Queremos tornar os jovens envolvidos `multiplicadores´ de uma mensagem essencial e vital. O projeto familiariza os participantes com seus próprios pontos fortes e talentos, e, permite lidar criativamente com os temas da violência, empatia e tolerância, revelando dons de quem participa e levando a esperança aos jovens.”, explica Flávia.
A chegada de “Fortes sem violência” no momento certo em terra brasileira é confirmada por uma intensa discussão pública acerca de uma nova lei que prevê o internamento obrigatório de toxicodependentes para tratamento. Os pedidos de novas vagas nas “fazendas” estão aumentando notavelmente. O espetáculo acontece para o público em geral nos dias 18 e 19 no ginásio João Castelo, às 19h30. Já está confirmada a presença de jovens estudantes das redes municipal e estadual de Educação de Caxias. No dia 20, haverá uma programação nas dependências da Fazenda da Esperança em Caxias com inauguração de mais uma casa para abrigar os recuperandos.
A História do Forte Sem Violência
O projeto Stark Ohne Gewalt, que em português significa "ser forte sem ser violento", foi idealizado por Mathias Kaps, um pedagogo alemão que não se conformava com a crescente onda de violência entre os jovens de seu país. Ele percebia que isso acontecia, principalmente, pela dificuldade de relacionamento e falta de diálogo entre os professores e seus alunos.
Mathias também enxergava uma falha no sistema educativo da Alemanha que, com um currículo carregado de disciplinas, priorizava somente a educação intelectual dos alunos, deixando de lado a capacidade de eles descobrirem seus talentos e de se reconhecerem como humanos.
A partir dessa realidade, ele sentiu a necessidade de se criar um projeto pedagógico que fosse de encontro, prioritariamente, com as necessidades dos jovens. Era preciso fazer com que eles descobrissem suas capacidades para aprenderem a se valorizar e a se sentirem fortes.
Em 2004, com a banda multicultural Gen Rosso, que se propõe a disseminar mensagens de paz e fraternidade por meio da arte, Mathias Kaps deu início ao projeto. No ano seguinte, com o apoio da Caritas, confederação humanitária internacional da igreja católica, pôde desenvolver o projeto em prisões e escolas de ensino médio de várias cidades alemãs. Já em 2006, com o patrocínio da União Europeia, a iniciativa ganhou espaço também em outros países.

O Imparcial

11:25 - 15/09/2015






Desenvolvido por Adriano Marinho