Presidente da Câmara Municipal de Santa Inês fala em harmonia no parlamento e diz que acredita na reeleição de Ribamar Alves

O presidente da Câmara Municipal de Santa Inês, vereador de seis mandatos, sempre pelo PDT, Orlando Mendes, militante político desde os tempos de escola, vem conduzindo o Legislativo Municipal de forma harmoniosa desde que assumiu o cargo em janeiro deste ano. Mendes, que além das preocupações políticas administrativas convive com problemas de saúde, mantem-se atuante e acredita que, se muito a Câmara Municipal já fez pelo povo, muito mais ela ainda tem por  fazer. O vereador que foi eleito em seu último mandato pela coligação que elegeu o prefeito Ribamar Alves, garante que na presidência da casa o seu lado é o do povo: “mantenho-me  neutro nos assuntos, e só procuro estabelecer a ordem naquilo que tem que ser exemplo para a população; um legislativo que debate e questiona o que é importante para o município” diz Mendes. 

 

HARMONIA E SESSÕES ITINERANTES  

 

    A Câmara Municipal de Santa Inês hoje é composta de 17 vereadores, a maioria deles, como em todas as casas legislativas de qualquer município brasileiro, com raríssimas exceções, é aliada da situação. Entre quatro e seis vereadores, dependendo do momento do assunto em pauta, se dizem oposicionistas. Mendes vem conseguindo conciliar os debates de maneira a não deixar que os mesmos descambem para a baixaria, afinal, “a casa do povo tem que ser exemplo de civilidade”, ressalta ele que faz questão de destacar a novidade de seu mandato como presidente: “voltamos, depois de alguns anos, a realizar as importantes sessões itinerantes, que levam os vereadores ao contato mais direto com as populações mais distantes, na zona rural e na periferia da cidade. Isso é interagir com o cidadão, é dar  a ele a oportunidade de se cobrar de quem ele votou, o compromisso assumido na campanha eleitoral. É claro que o vereador não tem o poder de fazer obras, mas tem o direito de indicá-las ao gestor público e cobrar dele os benefícios para a população, além do mais, é do vereador a principal função de fiscalizar os atos do Executivo Municipal”, lembra Orlando Mendes. 

 

 REFORMAS E MAIS UM MANDATO 

 

 O presidente da Câmara de Santa Inês autorizou recentemente que algumas reformas sejam feitas na estrutura física do prédio que abriga o Legislativo Municipal. Elas começam nesta segunda-feira. Ele quer dar mais conforto e mobilidade para quem trabalha ali ou vai acompanhar alguma sessão. A Câmara, a bem da verdade, funciona como um termômetro político. É lá que se sente a quantas andam a temperatura política com certa antecedência em relação ao período eleitoral, que no Brasil acontece de dois em dois anos. Em 2016, ano que vem, a eleição é a mais acirrada de todas, pois trata-se de uma eleição que diz respeito diretamente aos municípios. Nela serão eleitos apenas os vereadores, prefeito e vice de cada uma dos mais de 500 municípios brasileiros. Orlando Mendes já confirma que irá mais uma vez para o embate nas  urnas: “não sou político carreirista, mas por herança do meu pai, tenho compromisso com o povo de Santa Inês e vou seguir até quando o eleitor quiser, o legado dele”, garante Mendes. Ele é filho do ex-vereador Deco Muniz e irmão do vereador Aldoniro Muniz. 

REELEIÇÃO DE 

RIBAMAR ALVES 

Instado a responder se acredita na reeleição do atual prefeito de Santa Inês, que por mais de dois anos sofreu um desgaste político muito grande, Orlando Mendes diz que sim; “eu acredito na reeleição do Dr. Ribamar Alves que já superou as dificuldades enfrentadas nos primeiros anos de gestão, e agora, compreendendo que o povo não precisa de obras faraônicas, mas de benefícios possíveis de serem realizadas,  manutenção do funcionamento da máquina administrativa, salários em dias dos servidores públicos, melhoras nos setores da Saúde Pública e da Educação, cidade limpa, asfalto na maior quantidade de ruas que for possível e outras ações pontuais, com certeza tudo isso o levará a ser reeleito. Os  dois ex-prefeitos tiveram a oportunidade de governar Santa Inês por dois mandatos, oito anos, um deles até ficou por mais tempo, administrou, bem ou mal, Santa Inês por 12 anos, então porque o Dr. Ribamar não tem o direito de pleitear mais uma mandato de quatro anos?”, questiona ele para concluir; “diante da crise pela qual passa o Brasil, não havendo nenhuma solução a curto prazo para a mesma nos próximos três ou quatro anos, se Ribamar que conhece todos os gabinetes ministeriais de Brasília não conseguir muita coisa, os outros então é que não irão conseguir. Portanto acredito que o Dr. Ribamar vem numa caminha ascendente nos últimos meses, e a população já começa entender que ele está fazendo por onde merecer ser reeleito no ano que vem, isso se ele, que ainda não se decidiu, resolver partir para a reeleição”.   

 

07:40 - 26/09/2015






Desenvolvido por Adriano Marinho