Mesmo a saúde estando um caos total, Dilma/PT poderá cortar até R$ 9 bilhões em investimentos na saúde em 2016

 

Não bastasse o rombo bilionário nas contas públicas que fez o país fechar o ano de 2015 com déficit e recessão econômica, um veto da presidente Dilma Rousseff na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) pode causar uma perda de até R$ 9 bilhões em investimentos na saúde em 2016. O cálculo foi feito pela procuradora Élida Graziane, do Ministério Público de Contas de São Paulo e da Associação Nacional do Ministério Público de Defesa da Saúde (Ampasa).

As informações são de reportagem de sábado (2) do jornal Correio Braziliense. O trecho da LDO cortado pela presidente Dilma garantia que o dinheiro aplicado na saúde não seria inferior ao que foi investido no ano anterior. Com as mudanças no cálculo dos repasses mínimos, o governo federal deve destinar 13,2% da receita corrente líquida deste ano para a saúde, o que, segundo consultoria de Orçamento do Congresso, pode fazer com que falte dinheiro já neste 2016: cerca de R$ 7 bilhões.

Para a deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO), não é promovendo cortes em áreas vitais como saúde e educação que a presidente Dilma vai conseguir melhorar a situação do Brasil. A parlamentar atribuiu a decisão da presidente petista à “falta de gestão, de visão, de comprometimento e de responsabilidade”.

“Não é fazendo cortes na saúde que ela vai melhorar o país. Se ela precisava fazer cortes, deveria começar nos seus ministérios. Isso não surpreende mais porque já estamos aí há um bom tempo esperando que ela tenha essa visão, e até agora ela não teve. Ela não quer cortar na própria carne, e sim onde o brasileiro mais sente”, afirmou.

Caos na saúde

Em entrevista ao Correio, a procuradora Élida Graziane se disse “muito preocupada” com o veto de Dilma. “O que o governo deixa claro com esse veto é a percepção de uma redução da cobertura do SUS que vai gerar mortes”, avaliou.

A deputada Mariana Carvalho destacou a grave situação da saúde no Brasil. “A saúde estando um caos, o país está um caos. A gente já tem grandes problemas com hospitais, não temos uma saúde preventiva adequada como se deveria ter dentro dos postos de saúde, hoje faltam medicamentos, e a gente vê que vários médicos não conseguem oferecer um bom atendimento em locais afastados porque não têm uma estrutura para fazer o atendimento”, exemplificou.

Investigação

A parlamentar defendeu ainda a ação da procuradora do Ministério Público de Contas de São Paulo, que prometeu incluir o veto da presidente Dilma em um inquérito civil que investiga o descaso de autoridades com a saúde.

 

“Acredito que precisamos fazer essas investigações e descobrir porque fizeram esses cortes, principalmente na saúde. Todos esses cortes vieram devido a alguns rombos nas contas que tivemos durante todo esse período de gestão da presidente Dilma, então a gente precisa investigar. Se precisam fazer esses cortes na saúde, a gente quer saber para onde foram esses desvios, tendo em vista tantos escândalos que aconteceram durante essa gestão do PT – escândalos, corrupção, desgaste dentro do governo. De outra forma, o brasileiro terá que pagar por isso”, completou a tucana.


oimpactopublicidade

13:24 - 06/01/2016






Desenvolvido por Adriano Marinho