Deputado Juscelino Filho foi o 3º a gastar mais verbas de gabinete em 2015, quase 440 mil reais

A bancada federal maranhense na Câmara dos Deputados consumiu, em 2015, R$ 6.926.363,44 da Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP), a chamada verba indenizatória. O deputado Juscelino Filho do PMB (Partido da Mulher Brasileira) foi o 3º mais gastador em 2015 entre os 18 deputados federais do Maranhão, seu pedido de verba indenizatória só perdeu para o campeão, o deputado Júnior Marreca e para o pemedebista Hildo Rocha.  Se o leitor não lembra quem é Juscelino Filho, fazemos questão de lembrar que o deputado foi eleito com a ajuda de 17 mil votos obtidos em Santa Inês e que ele é sobrinho do ex-prefeito Roberth Bringel e da ex-deputada estadual Vianey Bringel que fizeram a campanha dele no município de Santa Inês. 

Os dados são do Portal da Transparência da Câmara, compilados ontem (11) pelo Blog do Gilberto Léda, e referem-se ao período de 1º de fevereiro a 31 de dezembro de 2015, uma vez que os deputados de primeiro mandato só assumiram no segundo mês do ano e não tiveram acesso à verba no mês de janeiro do ano passado. A CEAP é uma cota única mensal destinada a custear os gastos dos deputados “exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar”, segundo informa o site do Poder Legislativo. Sendo assim, os deputados efetuam os gatos e são ressarcidos mediante comprovação documental dos gastos. “Só podem ser indenizadas despesas com passagens aéreas; telefonia; serviços postais; manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar; assinatura de publicações; fornecimento de alimentação ao parlamentar; hospedagem; outras despesas com locomoção, contemplando locação ou fretamento de aeronaves, veículos automotores e embarcações, serviços de táxi, pedágio e estacionamento e passagens terrestres, marítimas ou fluviais; combustíveis e lubrificantes; serviços de segurança; contratação de consultorias e trabalhos técnicos; divulgação da atividade parlamentar, exceto nos 120 dias anteriores às eleições; participação do parlamentar em cursos, palestras, seminários, simpósios, congressos ou eventos congêneres; e a complementação do auxílio-moradia”, diz texto da Câmara. O valor máximo mensal da cota depende da unidade da federação que o deputado representa. No caso do Maranhão, é de R$ 41.779,83. Mas essa quantia pode ser acumulada mês a mês. Portanto, é mais correto dizer que cada deputado pode ser ressarcido até o limite de R$ 501.357,96 ao ano.

 Veja abaixo a lista completa de quanto cada dep
únior Marreca (PEN) – R$ 450.867,32, Hildo Rocha (PMDB) – 445.081,32, JUSCELINO FILHO (PMB) – R$ 438.746,23, Pedro Fernandes (PTB) – R$ 435.617,83, Rubens Júnior (PCdoB) – R$ 434.676,19, Victor Mendes (PMB) – R$ 427.330,89, João Castelo (PSDB) – R$ 417.452,47 (R$ 90.870,82 em nov/2015), André Fufuca (PEN) – R$ 416.276,88, Cleber Verde (PRB) – R$ 409.702,51, João Marcelo (PMDB) – R$ 406.490,39, José Reinaldo (PSB) – 398.392,84, Zé Carlos (PT) – R$ 382.266,51, Aluisio Mendes (PMB) – R$ 342.785,36, Alberto Filho (PMDB) – R$ 325.370,44, Sarney Filho (PV) – R$ 307.992,61, Weverton Rocha (PDT)* – R$ 284.040,74, Eliziane Gama (Rede) – R$ 271.030,55, Waldir Maranhão (PP) – R$ 255.556,78, Rosângela Curado (PDT) – R$ 86.685,58.
 utado federal do Maranhão
 gastou da verba indenizatória em 2015.

16:28 - 20/01/2016






Desenvolvido por Adriano Marinho