SÃO LUIS - Saúde e Unicef promovem Seminário Interestadual em São Luís

As doenças provocadas por carência de iodo, como por exemplo, o hipertireoidismo ou bócio, serão discutidas em seminário interestadual que será realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), dias 8 e 9, no auditório do American Flat (Ponta D’Areia). A abertura do evento será às 8h30 desta quinta-feira (08). Além do hipertireoidismo, a falta de iodo provoca várias doenças, entre elas, cretinismo; na mulher grávida pode provocar aborto espontâneo, nascimento de natimortos e crianças de baixo peso; em crianças provoca a mortalidade infantil e diminuição da capacidade de aprendizagem. As principais fontes de iodo são os frutos do mar (ostras, moluscos e peixes de água salgada), além do consumo diário moderado do sal iodado. No Brasil a iodação do sal é obrigatória por lei desde 1953. Segundo a nutricionista Tereza Borges, do Departamento de Atenção a Criança da SES, o iodo é um micronutriente essencial para o desenvolvimento humano, com a função de sintetizar os hormônios tiroidianos (produzidos pela tireóide), o triodotironina e a tiroxina, que atuam no desenvolvimento neurológico e na manutenção do fluxo normal de energia. São importantes na manutenção de vários órgãos, como o fígado, coração, rins, ovários e outros. O Seminário Interestadual de Prevenção das Doenças Provocadas Por Carência de Iodo reunirá, além de técnicos dos municípios de Balsas, Loreto, Riachão, São Raimundo das Mangabeiras e Mirador, participantes dos estados do Amazonas, Acre, Mato Grosso do Sul e Tocantins. São técnicos de vigilâncias sanitária, epidemiológica, de ações básicas, educação em saúde e vigilância em saúde. Os municípios e estados que participam do seminário foram selecionados devido a localização distante dos mares – a água dos oceanos é mais rica em iodo do que a crosta terrestre. Serão instrutores do seminário, técnicos da Coordenação Geral das Políticas de Alimentação e Nutrição (CGPAN) do Ministério da Saúde, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), da Universidade de São Paulo (USP), do Unicef e da própria Secretaria de Estado da Saúde. Além de elaborar estratégias voltadas para prevenção e controle de doenças provocadas pela carência do iodo, o seminário irá também discutir políticas de saúde que irão prevenir essas doenças nos municípios e estados participantes.

16:49 - 06/06/2006






Desenvolvido por Adriano Marinho