Antropólogos querem reunir estudos sobre 40 anos de renovaçao carismática

Antropólogos querem reunir estudos sobre 40 anos de renovaçao carismática SÃO LUÍS - Terminou na sexta-feira o 8º Simpósio da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR), sediado pela primeira vez em São Luís do Maranhão. Entre os estudiosos que o evento trouxe à cidade, havia um grupo de antropólogos que estuda a Renovação Carismática Católica (RCC) e que pretende, em 2007, realizar um grande encontro de pesquisadores do tema. O grupo, coordenado pelo professor Emerson Sena da Silveira (doutorando pela Universidade Federal de Juiz de Fora), esteve reunido na quarta-feira, 03/05, para discussões a respeito da identidade do jovem carismático. Foi a primeira vez que o professor pôde discutir o assunto na presença de universitários engajados no Ministério Universidades Renovadas, serviço da RCC que atua há oito anos no Maranhão. Os universitários aproveitaram o momento para interagir com os estudiosos e buscar conhecer o olhar antropológico sobre a RCC. A discussão permitiu uma proximidade com a "antropologia compreensiva" de Clifford Geertz , crítica de um pensamento sociológico que reduz a experiência do homem a mera conseqüência de estruturas sociais e econômicas, visão está presente no discurso que alimenta preconceitos contra os católicos carismáticos. No último dia do 8º Simpósio da ABHR, um dos pesquisadores do tema "Jovens Carismáticos", Eduardo Gabriel (USP), sugeriu que a passagem dos 40 anos de RCC fosse oportunidade para a realização de um grande encontro para mostra de reflexões, feitas por intelectuais brasileiros, sobre o movimento carismático.( Do Imirante)

13:28 - 06/05/2006






Desenvolvido por Adriano Marinho