Modelo reclama dos transtornos de falso resultado positivo para nova gripe

Um erro de informação sobre o resultado de um exame para detectar o vírus da nova gripe fez a modelo e atriz Silvana de Mello Franco Ramos, de 44 anos, viver duas horas de tensão e angústia na segunda-feira (22). Ela conta ter recebido da Coordenadoria Regional de Saúde Norte (Suvis Norte Santana), da Secretaria Municipal de Saúde, a informação de que seu teste no Instituto Adolfo Lutz indicava positivo. Na verdade, ela não foi infectada pelo vírus A H1N1 e a confusão teria sido causada por um problema em um fax. “Fiquei assustada. Meu receio, na verdade, era transmitir o vírus para o meu marido e para as minhas filhas. Foram momentos de tortura. Fiquei duas horas chateada. Cheguei a pensar: ‘Será que vou morrer?’”, contou Silvana. Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde confirmou que a paciente passou pelo exame para detectar a nova gripe e que a confusão foi provocada por um problema em um fax. "O resultado do exame chegou na segunda-feira. A informação com o tipo do vírus estava ilegível e foi erroneamente passada para a paciente", informa a nota. A secretaria esclarece que o erro foi identificado e Silvana foi avisa em seguida. Irmão isolado O drama da modelo começou em 12 de junho, quando o irmão chegou da Itália para passar quatro dias em sua residência, na Zona Norte de São Paulo. No quarto dia, ele começou a apresentar sintomas de gripe, como febre alta e dores musculares. Já em São Luís, no Maranhão, onde mora, ele procurou um hospital. Lá, ele foi isolado, com suspeita de gripe suína. No dia 19, quando começou a apresentar os mesmos sintomas do irmão, Silvana não perdeu tempo e foi ao Hospital das Clínicas. “Fui prontamente atendida, com todos os cuidados dos médicos, que solicitaram os exames necessários e me disseram que, pelos meus sintomas, eu deveria ficar no isolamento em casa, inclusive usando máscara e tomando o remédio até sair o resultado do exame”, contou. Silvana diz que seguiu à risca as orientações médicas. No domingo (21), ela entrou em contato com o hospital para saber se o resultado do exame já estava pronto. A atendente lhe perguntou então se a Secretaria de Saúde tinha procurado por ela. Diante da resposta negativa, a própria atendente ligou para a secretaria e comunicou o caso de Silvana. No mesmo dia, funcionários do Suvis Norte foram até a casa dela para levar mais remédios. Na segunda-feira, Silvana recebeu uma ligação do seu irmão dizendo que o exame dele havia dado negativo para a nova gripe. Com a boa notícia, a modelo se sentiu mais aliviada. Às 14h, porém, o susto. “Ligaram do Suvis Santana, dizendo que meu exame tinha dado positivo e que era 100% de certeza, pois foi feito no laboratório Adolfo Lutz", disse. A modelo disse ter questionado a atendente. "Como poderia ser se o resultado do meu irmão, que foi a fonte transmissora, havia dado negativo. Ela repetiu com todas as letras: ‘o seu deu positivo. Continue usando as máscaras. Amanhã, levaremos o laudo e mais remédios para a senhora’. Fiquei paralisada”, contou. Em seguida, ela ligou para o colégio das filhas, para avisar que elas também estavam de quarentena. O colégio, em resposta, solicitou uma cópia do laudo para que pudesse tomar as providências necessárias. Silvana ligou de volta para o Suvis, para solicitar o laudo e a mesma atendente com quem havia falado da primeira vez lhe informou que levaria o exame na casa dela no dia seguinte. Às 16h, mais uma ligação da Coordenadoria Regional de Saúde. Desta vez, outra pessoa avisava sobre o erro. “Informaram que tinham se equivocado com o laudo, devido a um erro no fax", disse. Segundo ela, o resultado era positivo, mas para o vírus A sazonal. Para Silvana, a gravidade do erro está justamente na possibilidade de ele ter ocorrido em outras situações, mas com pessoas de fato contaminadas. “E se eu estivesse mesmo com o vírus e ela me passasse o resultado errado e eu saísse na rua transmitindo o vírus? O caso é muito sério”, afirmou Silvana. A Coordenação Regional de Saúde Norte lamentou o episódio e informou que “inclusive já reforçou os procedimentos junto às Supervisões de Saúde locais para que situações como essas não voltem a ocorrer”.

09:16 - 25/06/2009






Desenvolvido por Adriano Marinho