Sine-MA começa a captar vagas temporárias em Bacabal

Os atendentes da agência do Sine-MA, em Bacabal, receberam treinamento sobre como proceder na abordagem de empresas com vistas à captação de vagas temporárias no município, advindas do período de aquecimento do comércio em função das festas de fim de ano.

A capacitação aconteceu nos dias 18 e 19 e foi ministrada por Pyero Castro, chefe do Setor de Relacionamentos com Empresas, da Secretaria de Estado do Trabalho de Economia Solidária (Setres), atendendo a dez colaboradores da agência. Eles receberam orientação sobre como conscientizar as corporações a oferecerem vagas através do sistema do Sine, gerando emprego e renda para região. De acordo com Castro, o treinamento foi muito proveitoso e a turma, aplicada.

"O treinamento da equipe de Bacabal faz parte de um esforço da Setres para estimular as contratações de trabalhadores, com carteira assinada, através do Sine, que é um serviço público e gratuito para trabalhadores e também para os empregadores que queiram oferecer suas vagas através do Sine", revelou.

A atividade também contou com a presença do secretário titular da Setres, José Antônio Heluy, que convocou os colaboradores do Sine em Bacabal a buscarem parceria do empresariado local.

"A cada trabalhador colocado no mercado de trabalho através do Sine aumentam os recursos federais destinados à capacitação e qualificação de trabalhadores maranhenses, o que também beneficia o empresariado", esclareceu Heluy. "É uma rede que deve ser trabalhada e fortalecida", ressalta.

Ainda durante o treinamento a equipe do Sine visitou algumas empresas da região, para mostrar a prática da abordagem durante a captação de vagas. Na ocasião, 45 vagas foram oferecidas pelas empresas através do serviço.

Castro informou que há oportunidades, sobretudo no comércio, onde estão cerca de 70% das vagas. "As portas estão abertas principalmente para vendedores, estoquistas, repositores, analistas de crédito e embaladores", observou.


Setres

18:01 - 23/10/2013






Desenvolvido por Adriano Marinho