SUBSTÂNCIA PRESENTE NO VINHO INVERTE EFEITOS RUINS DA OBESIDADE

Agora já sabemos por que Baco, o deus greco-romano do vinho, apesar de ser um gordão, era imortal. Cientistas descobriram que o consumo de uma substância presente no vinho tinto pode contra-atacar os efeitos maléficos à saúde causados por uma dieta com alto consumo de calorias. O composto, chamado resveratrol, é encontrado em uvas vermelhas e, por conseqüência, no vinho tinto. Ele já é estudado pelos cientistas há alguns anos, e pesquisas anteriores já haviam demonstrado que seu consumo aumentava o tempo de vida de fungos (Saccharomyces cerevisiae), vermes (Caenorhabditis elegans) e moscas (Drosophila melanogaster). Agora, a equipe comandada pelo americano David Sinclair, da Escola Médica de Harvard, e pelo espanhol Rafael de Cabo, dos NIH (Instutos Nacionais de Saúde), nos Estados Unidos, mostrou que efeito similar é observado em camundongos. Mas não em quaisquer camundongos. Camundongos pançudos. Os bichinhos receberam uma dieta de fazer inveja a qualquer fã de fast-food. Para acompanhar, 400 miligramas de resveratrol para cada quilo de alimento. Como esperado, os camundongos reagiram com as criaturas testadas anteriormente e viveram mais. Mas as informações mais relevantes vieram quando eles analisaram tecidos dos animais e descobriram que muitos dos efeitos deletérios que normalmente acompanham a obesidade, afetando o funcionamento de vários órgãos, não estavam lá. "Levadas em conjunto, as descobertas nesse estudo mostram que o resveratrol inverte a fisiologia dos camundongos que consomem calorias em excesso para a dos que têm uma dieta padrão, modula os processos que levam à longevidade e melhora a saúde", escrevem os autores, num estudo que acaba de sair publicado on-line pela revista científica britânica "Nature". A descoberta pode apontar na direção do desenvolvimento de medicamentos que combatem os malefícios da obesidade, tornando-o apenas um problema estético. Num mundo em que 2,1 bilhões de pessoas estão com sobrepeso, é um belo resultado. Entretanto, os cientistas enfatizam que essa pílula mágica ainda está bem longe das prateleiras. E, a despeito do sucesso de Baco, a solução não está em encher a cara de vinho. "A concentração do resveratrol no vinho está na faixa dos microgramas por taça", revela ao G1 Rafael de Cabo. Um micrograma equivale a um milésimo de miligrama. "Dependendo do vinho, para tomar a dose equivalente à que demos a nossos camundongos, seria preciso consumir vários litros por dia", diz o pesquisador espanhol. Se alguém tomar tudo isso, os efeitos deletérios do álcool em muito superarão os benefícios do resveratrol.

15:03 - 01/11/2006






Desenvolvido por Adriano Marinho